segunda-feira - 16/set/2019
Inicio / Notícias / MP propõe ação para que município realize exames de pacientes com doença falciforme.

MP propõe ação para que município realize exames de pacientes com doença falciforme.

Ministério Público Estadual (MPE) propôs, nesta terça-feira (05.10) ação civil pública, com pedido liminar, contra o município de Cuiabá para obrigá-lo a oferecer tratamento médico por meio da realização do exame denominado doppler transcraniano para 169 crianças e adolescentes portadoras de doença falciforme. Segundo o MP, o exame é de fundamental importância, porém, tem sido negado pela Secretaria Municipal de Saúde sem qualquer justificativa plausível.

De acordo com o promotor de Justiça José Antônio Borges, a denúncia de que a administração pública não tem realizado o referido exame foi feita pelo presidente da Associação dos Falcêmicos e Talassêmicos de Mato Grosso (Asfmat), Rosalino de Oliveira. “Ele solicitou a interferência do Ministério Público, já que crianças e adolescentes da Capital e do interior do Estado precisam fazer o exame urgentemente para prevenir AVC – Acidente Vascular Cerebral e/ou derrame e, até mesmo, o óbito, comum em portadores de anemia falciforme”, disse ele, que atua na Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Cuiabá.

Na ação, o MP requer que o município realize o exame anualmente, semestralmente e trimestralmente, de acordo com a necessidade de cada caso. “A simples realização do exame pode prevenir que essas crianças e adolescentes sejam acometidos por sequelas neurológicas graves decorrentes do AVC”, ressaltou o promotor. Na ação, o MP requer que caso o município não realize os exames, proceda o encaminhamento imediato dos 169 pacientes para atendimento particular. “Cada exame custa R$ 250,00, ou seja, o município terá que arcar com o valor de R$ 42.250,00. Além disso, poderão ser solicitados outros procedimentos necessários no decorrer do tratamento médico”.

O médico pediatra Wolney de Oliveira Taques, destacou, na ação, que a anemia falciforme é uma doença de origem hereditária que apresenta quadro de anemia hemolítica e sintomatologia de diversos órgãos. Há poucos anos foi descoberto que o doppler transcraniano, método de exame simples, não invasivo e de custo relativamente baixo, tem sido extremamente útil para os pacientes falciformes. “O exame precisa ser feito anualmente na faixa etária de maior risco e também nos pacientes que já apresentaram um episódio anterior de AVC, para avaliar o risco de desenvolver um novo quadro”.

O especialista informou ainda, que por se tratar de um exame realizado recentemente em pacientes falciformes, não existe uma portaria regulamentando o exame e o custeio dele na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). “No entanto, em se tratando de procedimento de inequívoca eficácia e grande benefício para estes pacientes, muitos centros de referência já colocam em seus protocolos a realização de rotina do exame em faixa etária pré-estabelecida. Como resultado da avaliação adequada e tratamento precoce desses pacientes falciformes, a sua sobrevida e qualidade de vida será melhorada”.
Para o membro do Ministério Público, os pacientes da doença “se vêem alijadas do sistema de saúde em face da limitação das posturas adotadas pela parte requerida, configurando-se clara situação atentatória aos princípios constantes da Constituição Federal, que cometem ao citado direito a natureza fundamental. O município deve assegurar uma vida digna, normal e saudável a essas pessoas ”, destacou o promotor de Justiça.Segue o endereço do site para quem quiser ver no próprio domínio do Ministério Público de Mato Grosso.

http://www.mp.mt.gov.br/conteudo.php?sid=58&cid=49178

LEIA TAMBÉM

Dia Nacional de Luta pelos Direitos das Pessoas com Doenças Falciformes

27 de Outubro é o Dia da Luta pelos Direitos das Pessoas com Doença Falciforme, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *